FAÇA UMA NOVA PESQUISA

Para os fins do art. 102, I, “n”, da CF/88, o impedimento deve ser afirmado nos autos do processo cujo deslocamento se pretende

Origem: STF

Encontrou algum erro no conteúdo? Clique aqui para reportar o erro.

Ementa Oficial

Ementa: Direito constitucional e processual civil. Ação originária. Agravo interno. Execução individual de acórdão proferido em mandado de segurança coletivo. Alegado impedimento de mais da metade dos membros do Tribunal local. 1. Agravo interno contra decisão que extinguiu, sem resolução do mérito, a ação originária. A demanda consiste em execução individual de acórdão proferido pelo TJ/SE em mandado de segurança coletivo impetrado por sindicato. O provimento jurisdicional que se executa beneficia alguns servidores do Tribunal local que são parentes de desembargadores. Desse modo, os autos foram encaminhados a esta Corte com base no art. 102, I, n, da CF/1988, que prevê a competência originária do STF para ações em que mais da metade dos membros do Tribunal de origem esteja impedida. 2. No entanto, o STF não é competente para julgar originariamente o feito, pelas seguintes razões: (i) não há impedimento de desembargadores que não mantêm relação de parentesco com o servidor que figura especificamente no processo de execução individual (CPC, art. 144, IV); (ii) para os fins do art. 102, I, n, da CF/1988, o impedimento deve ser afirmado nos autos do processo cujo deslocamento se pretende, o que não ocorreu no caso; e (iii) o Tribunal de origem não se declarou incompetente para julgar o mérito do mandado de segurança coletivo, de modo que não há, em princípio, óbice para apreciar as execuções individuais, que devem estrita observância à coisa julgada formada no processo de conhecimento. Eventual alteração na composição do Tribunal, que tivesse acarretado o impedimento de mais da metade de seus membros, deveria ter sido demonstrada no caso concreto, não sendo suficiente a manifestação em outra execução individual. 3. Agravo interno a que se dá provimento, com a devolução dos autos ao Tribunal de origem.
(AO 2380 AgR, Relator(a): Min. ALEXANDRE DE MORAES, Relator(a) p/ Acórdão: Min. ROBERTO BARROSO, Primeira Turma, julgado em 25/06/2019, PROCESSO ELETRÔNICO DJe-189 DIVULG 29-08-2019 PUBLIC 30-08-2019)



Assine o plano Premium para ter acesso aos comentários de todos os julgados.


Assinar o Plano PREMIUM


Encontrou algum erro no conteúdo? Clique aqui para reportar o erro.

Como citar este texto

CAVALCANTE, Márcio André Lopes. Para os fins do art. 102, I, “n”, da CF/88, o impedimento deve ser afirmado nos autos do processo cujo deslocamento se pretende. Buscador Dizer o Direito, Manaus. Disponível em: <https://www.buscadordizerodireito.com.br/jurisprudencia/detalhes/80fee67c8a4c4989bf8a580b4bbb0cd2>. Acesso em: 23/09/2019

Blog Dizer o Direito

Confira as últimas postagens no nosso blog.

Lei 13.873/2019: altera a Lei 13.364/2016 para reforçar que as atividades de rodeio, vaquejada e laço são bens de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro

Olá, amigos do Dizer o Direito,Foi publicada ontem (18/09/2019), a Lei nº 13.873/2019, que altera a Lei nº 13.364/2016, para incluir o laço, bem como as respectivas expressões artísticas e...
Leia mais >

Lei 13.872/2019: direito de as mães amamentarem seus filhos durante a realização de concursos públicos federais

Olá, amigos do Dizer o Direito,Foi publicada ontem (18/09/2019) a Lei nº 13.872/2019, que assegura importante direito para as mães lactantes que estão prestando concurso público. Vamos entender...
Leia mais >

Lei 13.871/2019: autor de violência doméstica deve ressarcir os gastos do poder público com a assistência à saúde da vítima e com os dispositivos de segurança utilizados para evitar nova agressão

Olá, amigos do Dizer o Direito,Foi publicada hoje (18/09/2019), a Lei nº 13.871/2019, que altera a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006) e prevê que: O autor de violência doméstica praticada...
Leia mais >